Polícia Ambiental faz novas apreensões de palmito extraído ilegalmente

24/05/13 12:30

Polícia Ambiental faz novas apreensões de palmito extraído ilegalmente

Palmito apreendido

Cerca de 380 kg de palmito da espécie juçara foram apreendidos em ações de fiscalização nas cidades de Lorena e Sete Barras. Nas fábricas clandestinas foram localizados utensílios comumente utilizados no preparo do produto e também foram constadas condições inadequadas de produção.

De acordo com a Polícia Ambiental, a ação no bairro de Pedroso, zona rural do município de Lorena, resultou na prisão de um dos suspeitos de fazer parte da quadrilha responsável pela extração ilegal de palmito na Serra da Mantiqueira. O alimento era removido na divisa entre Guaratinguetá e Pindamonhangaba e enviado in natura para o processo de industrialização.

Em Sete Barras, foram apreendidos 90 vidros de 1800g com o alimento já industrializado, 288 vidros vazios, dois medidores de madeira (utilizados para cortar palmito), um caldeirão de inox, entre outros instrumentos usados no processo de conserva. Uma pessoa foi presa em flagrante e encaminhada ao DP da cidade.

A extração descontrolada do palmito-juçara resultou em risco de extinção da espécie, que não rebrota após o corte para a retirada do palmito.

Além de prejudicar a saúde de quem o consome sem a higienização necessária, a extração insustentável do palmito agride o meio ambiente. O juçaí, fruto da juçara, é responsável pela alimentação de diversas espécies, e o corte diminui a possibilidade de alimento para esses animais.

 

O Estado de São Paulo possui o Disque Ambiente, que é um contato específico para receber denúncias e informações sobre questões ambientais: 0800 113 560. A ligação é gratuita e as denúncias podem ser feitas de forma anônima.