Instituto Geológico analisa áreas de risco

Em razão das fortes chuvas que atingem o Estado de São Paulo, o Instituto Geológico (IG) foi acionado pela Coordenadoria Estadual da Defesa Civil (CEDEC), no dia 11/01, para realizar atendimentos técnicos nas áreas de Mauá e São José dos Campos. A ação visa vistoriar locais de riscos para produzir laudos técnicos com recomendações e indicações para o enfrentamento do problema, como interdição dos pontos perigosos, obras para reparos ou até mesmo remoção temporária ou permanente dos moradores.

Não é a primeira vez que o Instituto Geológico participa do combate às enchentes neste ano. A cidade de Jundiaí foi vistoriada conforme preconiza o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC), na última sexta-feira (07/01). O IG disponibilizou os geólogos Jair Santoro e Lídia Keiko Tominaga e o geógrafo Tulius Dias Nery, para analisar três áreas de risco de deslizamento de encosta.

Em Jundiaí, a vistoria constatou que o bairro Jardim São Camilo foi o mais atingido pelo deslizamento, embora o bairro do Balsan também tenha sido afetado. Em razão dos riscos iminentes e não iminentes, os técnicos que atuaram nesse atendimento recomendaram a intervenção e a remoção definitiva de 78 moradias.

Já em Mauá, no dia 05/01/2001, o IG participou, junto à Defesa Civil, de vistoria técnica no Morro do Macuco - Jardim Zaíra.


Instituto Geológico analisa risco de deslizamento
Instituto Geológico analisa risco de deslizamento