Especialistas reivindicam inventário atualizado de emissões de gases de efeito estufa

Técnicos e autoridades reunidos no seminário “Inventário Estadual de Gases de Efeito Estufa do Estado de São Paulo: período de 1990-2008”, no auditório da sede da Secretaria Estadual do Meio Ambiente – SMA e da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental - CETESB, na capital, em 17.03, reiteraram a necessidade urgente de elaboração de inventário atualizado das emissões de gases de efeito estufa. Na semana passada, em outro evento que também enfocou o tema das mudanças climáticas, o secretário estadual do Meio Ambiente, Xico Graziano, havia alertado sobre a inexistência de base de dados precisa, atualizada e confiável, que permita a adoção imediata de políticas públicas e de ações setoriais concretas, visando atingir metas de redução nas emissões.

“Temos uma precariedade fantástica de informações. Temos que fazer nossas lições de casa, e logo, pois a tarefa é grande. Sem base de dados confiável, como tratar este assunto tão importante?”, enfatizou Graziano, na abertura do evento, que atraiu cerca de 300 pessoas, entre ambientalistas, representantes de prefeituras e secretarias estaduais e municipais, diversos órgãos públicos, universidades e empresas. Participaram da abertura do evento, além do secretário, o presidente da CETESB, Fernando Rei, o secretário-executivo do Fórum Paulista de Mudanças Climáticas Globais e Biodiversidade, Fabio Feldmann, e os representantes do Ministério da Ciência e Tecnologia, Newton Paciornik, e da Embaixa Britânica, Daniel Aguiar Grabois.

O presidente da CETESB chamou a atenção para o fato de que o Projeto de Lei que estabelece a Política Estadual de Mudanças Climáticas - PEMC que está em trâmite na Assembléia Legislativa destaca a realização do inventário visando conhecer o perfil das fontes de emissões e, desta forma, possibilitar o adequado combate à questão. Fernando Rei lembrou que as adequações do sistema de licenciamento ambiental estadual em andamento irão incorporar as mudanças climáticas em suas diretrizes.

Fabio Feldmann cobrou do representante do Ministério da Ciência e Tecnologia uma maior agilidade por parte do governo federal para atualizar o inventário nacional de emissões, cuja segunda edição está sendo esperada para até o final de 2009, mas que conterá dados referente até 2005 e, em relação ao desmatamento, até 2002. Paciornik justificou-se afirmando que os recursos são limitados, porém reiterou que os Estados têm condições de oferecer inventários mais detalhados e parabenizou as iniciativas do Governo de São Paulo, posição que foi acompanhada pelo representante da Embaixada Britânica, que apóia a CETESB na produção do inventário estadual. “Nossa expectativa é que o inventário paulista se torne modelo para todo o Brasil”, afirmou Grabois.

Josilene Ferrer, da Divisão de Questões Globais da CETESB, apresentou o estágio atual de formação da rede paulista de órgãos e entidades que está se constituindo para a elaboração e consolidação dos dados do primeiro inventário paulista de emissões de gases de efeito estufa, que deve ser concluído até dezembro de 2009. Quanto aos próximos passos, ela basicamente fez um convite para os representantes de associações, entidades e universidades presentes, no sentido de eles integrarem a rede paulista, que já existe e é composta por cerca de 5 mil membros, incluindo representantes de várias entidades, órgãos técnicos, secretarias de governo e instituições diversas, tendo à frente a SMA e a CETESB.

O convite teve o objetivo de ampliar a divulgação do inventário estadual e aprimorá-lo através da participação de toda a sociedade. Para isso, a representante da agência ambiental propôs a centralização das informações e sugestões através do site da CETESB, na página do PROCLIMA - http://www.cetesb.sp.gov.br/proclima

Apresentações técnicas

O seminário contou com as apresentações técnicas sobre o tema, realizadas por João Wagner, gerente da Divisão de Questões Globais da CETESB, sobre o Inventário das emissões de GEE pelo tratamento de resíduos e efluentes; por Roberto Peixoto, do Instituto Mauá de Tecnologia, sobre o Inventário das emissões de CFCs, HCFCs, HFCs, PFCs, PFCs, e SF6 no Estado de São Paulo: informações preliminares; por Vanderlei Borsari, gerente do Setor de Laboratório de Veículos da CETESB, e por Regina Kawai, do Instituto Mauá de Tecnologia, sobre o Inventário das emissões de fontes móveis: dados preliminares e metodologia de trabalho; Magda Aparecida de Lima, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, sobre o Inventário de emissão de GEE no setor agropecuário segundo as metodologias do IPCC: informações preliminares; e Adriana Scolastrici, da Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais – FUNCATE, sobre o Inventário das emissões de florestas: experiência do inventário nacional e os desafios da atualização da informação, dados preliminares.


Josilene Ferrer fechou o seminário convidados à participação na Rede Paulista.
Josilene Ferrer fechou o seminário convidados à participação na Rede Paulista.
O auditório da CETESB e SMA ficou completamente lotado.
O auditório da CETESB e SMA ficou completamente lotado.
O secretário Xico Graziano cobrou a elaboração de inventário atualizado.
O secretário Xico Graziano cobrou a elaboração de inventário atualizado.
Grabois
Grabois